NOUTRATEZ


um salto para a loucura

qual chá de labuta, ele não teve
como evitar,
tropeçou na angústia
e deu-se a queda tal herói

e assim
que ele foi de encontro ao chão
pode olhar para os sons
dos
braços de seus...
(a voz)

voltou a ressoar, mas antes que eu me
esqueça este
era apenas um sonho

e talvez que se evitasse
diante estrago tão medonho,

insistir no constante licor
de amarula...


digital ameríndio

Escrito por Caio Carmacho às 17h36
[   ] [ envie esta mensagem ]




mais baço do que aço

há quem diga que você é
o que você come

creio que a verdade esteja no fim
e não no meio

ou seja vírgula
você é o que você vomita
deixe de estória e reflita


caio carmacho

Escrito por Caio Carmacho às 20h05
[   ] [ envie esta mensagem ]




aparência: eu vou te contar (jeito estúpido de te amar)



fauzi arap por bethânia


Escrito por Caio Carmacho às 20h27
[   ] [ envie esta mensagem ]




vai querer?

O mundo é dos comerciantes
Por isso é que antes
Quando eu vendia tridentes
A loja era cheia,
Fiz meu pé de meia,
Lucrei nos conflitos
E agora preciso espetar uns palitos
No lugar dos dentes

O mundo é dos comerciantes
Por isso é que antes
Quando eu vendia alicates
Ganhava uns trocados,
Arrancando dentes,
Apertando porcas
E agora preciso apertar
Uns parentes
Pra pagar as contas

O mundo é dos comerciantes
Por isso é que antes
Quando eu matava meus porcos
Eu quase mudei
Fui morar no planalto,
Mandava no povo
E agora dou facada nos incautos
E nunca devolvo


wado e realismo fantástico

Escrito por Caio Carmacho às 16h31
[   ] [ envie esta mensagem ]




exílio voluntário

tive planos grandes
tão grandes quanto cidades grandes

mas voltei minha atenção para dentro
onde só o indício secreto de um
coração me forneceu alguma alegria

eclipsei a razão mais que imediata
e hoje só consigo existir no meu
território pessoal de utopia

onde cigarros e cigarras
convivem em plena harmonia


caio carmacho

Escrito por Caio Carmacho às 16h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




cena de mesa



senta na cadeira
à sua frente.
tamborila os dedos
no tampo da mesa.

(ela suga pelo canudinho
o líquido vermelho
fazendo barulho
e cruza as pernas)

diz então
súbito
olhando fixo nos olhos dela

foi sem querer
eu te amei do avesso
prometo que da próxima vez
te visto
do lado certo


lilian aquino


Escrito por Caio Carmacho às 16h36
[   ] [ envie esta mensagem ]




nem tudo
que é torto
é errado

veja as pernas
do garrincha
e as árvores
do cerrado


nicolas behr

Escrito por Caio Carmacho às 11h24
[   ] [ envie esta mensagem ]




grafite

morrer é quase
um imprevisto

morro sempre
quando penso
que não existo


lau siqueira

Escrito por Caio Carmacho às 11h03
[   ] [ envie esta mensagem ]




roteiro íntimo de pequenos tropeços

cânones de alguma experiência empírica:

nº1: toda mulher fumante é cagona. pode ser linda, mas fumante que é fumante sabe, não passa de uma cagona

nº2: meu primeiro choque acadêmico se deu em um dos banheiros da faculdade metodista de piracicaba. na porta de uma das privadas, li: 'o boi pode ser um animal forte, mas o livro é um objeto útil'. naquele momento, percebi que não estava sozinho no mundo

nº3: minha turma tinha uma teoria de que não existe vida possível antes do meio dia. eu sigo acreditando nisso


(continua...)

Escrito por Caio Carmacho às 20h42
[   ] [ envie esta mensagem ]






antonio cicero


Escrito por Caio Carmacho às 22h36
[   ] [ envie esta mensagem ]




barroco

Mundo e ego : palcos geminados.

Quero crer que creio
E finjo e creio
Que mundo e ego
Ambos
São teatros
Díspares
E antípodas.

Absolutos que se refratam / difratam…
Espelhos estilhaçados que não se colam.

Entanto são
Ecos de ecos que se interpenetram
Partículas de ecos ocos, partículas de ecos plenos que se conectam
Aí cosmos são cagados, cuspidos e escarrados pelo opíparo caos
E o uso do adjetivo está correto
Pois que o caos é um banquete.
Fantasmas de óperas.
oooooooooooooooooRatos de coxias.
ooooooooooooooooooooooooooooooAtos truncados.


Há uma lasca de palco
oooooooooooooooooem cada gota de sangue
oooooooooooooooooem cada punhado de terra
ooooooooooooooooooooooooooooooooooooode todo e qualquer poema.


waly salomão

Escrito por Caio Carmacho às 15h30
[   ] [ envie esta mensagem ]




vida de artista

na vida sou passageiro
eu também motorista
fui trocador motorneiro
antes de ascensorista
tenho dom pra costureiro
para datiloscopista
com queda pra macumbeiro
talento pra adventista
agora sou mensageiro
além de pára-quedista
às vezes mezzo engenheiro
mezzo psicanalista
trejeito de batuqueiro
a veia de repentista
já fui peão boiadeiro
fui até tropicalista
outrora fui bom goleiro
hoje sou equilibrista
de dia sou cozinheiro
à noite sou massagista
sou galo no meu terreiro
nos outros abaixo a crista
me calo feito mineiro
no mais vida de artista

itamar assumpção

Escrito por Caio Carmacho às 16h05
[   ] [ envie esta mensagem ]




5 da manhã (inverno na cama)


acordo de pau duro
abraçado à pequena promessa esperança
de futuro

o corpo suado a garganta ardendo arfando tudo enfim

reservo para mim esse momento sublime de prazer inominável
adiar o prazer imediato é circunstancial
o amor também adoece

rouco privilégio tosse tossindo às cinco da manhã
com o frio involuntário

deixo que fique rijo imaculável inacabado
com seu ar de entidade febril

delito inviolável largado a 7 palmos de lençóis
hoje, mas só hoje está de folga
até ter alta em abril


caio carmacho

Escrito por Caio Carmacho às 16h59
[   ] [ envie esta mensagem ]




sonetilho de verão



traído pelas palavras.
o mundo não tem conserto.
meu coração se agonia
minha alma se escalavra
meu corpo não liga não.
a idéia resiste ao verso,
o verso recusa a rima,
a rima afronta a razão
e a razão desatina
desejo manda lembranças.

o poema não deu certo.
a vida não deu em nada.
não há deus. não há esperança.
amanhã deve dar praia.


paulo henriques britto


Escrito por Caio Carmacho às 18h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




dividendos do velho mundo

neve nos cedros não enevoam o meu ser meu cérebro nem sequer desbotam a imagem comercial e bonita de um coqueiro com seus vespertinos ornamentos elaborados

os discursos me enganam com sua ascendência franco-soviética seus porres conceituais sua ilha inerte

o mundo de sofia é muito lindo porque ninguém entende mas deve ter lido percebido algum dinheiro no meio

é preciso um louco pra parar pra varrer pra valer o velho mundo é preciso um louco dessacralizar tudo

é preciso ciência para justificar que com paciência peso e medida que equivalem o quilo a massa o tanto

não se explica o fenômeno humano d'eu não ter conta em banco

caio carmacho



Escrito por Caio Carmacho às 16h05
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  01/05/2017 a 31/05/2017
  01/09/2015 a 30/09/2015
  01/01/2015 a 31/01/2015
  01/11/2014 a 30/11/2014
  01/10/2014 a 31/10/2014
  01/05/2014 a 31/05/2014
  01/03/2014 a 31/03/2014
  01/02/2014 a 28/02/2014
  01/01/2014 a 31/01/2014
  01/12/2013 a 31/12/2013
  01/10/2013 a 31/10/2013
  01/06/2013 a 30/06/2013
  01/04/2013 a 30/04/2013
  01/03/2013 a 31/03/2013
  01/01/2013 a 31/01/2013
  01/12/2012 a 31/12/2012
  01/11/2012 a 30/11/2012
  01/10/2012 a 31/10/2012
  01/09/2012 a 30/09/2012
  01/08/2012 a 31/08/2012
  01/07/2012 a 31/07/2012
  01/06/2012 a 30/06/2012
  01/05/2012 a 31/05/2012
  01/04/2012 a 30/04/2012
  01/03/2012 a 31/03/2012
  01/02/2012 a 29/02/2012
  01/01/2012 a 31/01/2012
  01/12/2011 a 31/12/2011
  01/11/2011 a 30/11/2011
  01/10/2011 a 31/10/2011
  01/09/2011 a 30/09/2011
  01/08/2011 a 31/08/2011
  01/07/2011 a 31/07/2011
  01/05/2011 a 31/05/2011
  01/04/2011 a 30/04/2011
  01/03/2011 a 31/03/2011
  01/02/2011 a 28/02/2011
  01/01/2011 a 31/01/2011
  01/12/2010 a 31/12/2010
  01/11/2010 a 30/11/2010
  01/10/2010 a 31/10/2010
  01/09/2010 a 30/09/2010
  01/08/2010 a 31/08/2010
  01/07/2010 a 31/07/2010
  01/06/2010 a 30/06/2010
  01/05/2010 a 31/05/2010
  01/04/2010 a 30/04/2010
  01/03/2010 a 31/03/2010
  01/02/2010 a 28/02/2010
  01/01/2010 a 31/01/2010
  01/12/2009 a 31/12/2009
  01/11/2009 a 30/11/2009
  01/10/2009 a 31/10/2009
  01/09/2009 a 30/09/2009
  01/08/2009 a 31/08/2009
  01/07/2009 a 31/07/2009
  01/06/2009 a 30/06/2009
  01/05/2009 a 31/05/2009
  01/04/2009 a 30/04/2009
  01/03/2009 a 31/03/2009
  01/02/2009 a 28/02/2009
  01/01/2009 a 31/01/2009
  01/12/2008 a 31/12/2008
  01/11/2008 a 30/11/2008
  01/10/2008 a 31/10/2008
  01/09/2008 a 30/09/2008
  01/08/2008 a 31/08/2008
  01/07/2008 a 31/07/2008
  01/06/2008 a 30/06/2008
  01/05/2008 a 31/05/2008
  01/04/2008 a 30/04/2008
  01/03/2008 a 31/03/2008
  01/02/2008 a 29/02/2008
  01/12/2007 a 31/12/2007
  01/11/2007 a 30/11/2007
  01/10/2007 a 31/10/2007
  01/09/2007 a 30/09/2007
  01/08/2007 a 31/08/2007
  01/07/2007 a 31/07/2007
  01/06/2007 a 30/06/2007
  01/05/2007 a 31/05/2007
  01/04/2007 a 30/04/2007
  01/03/2007 a 31/03/2007
  01/02/2007 a 28/02/2007
  01/01/2007 a 31/01/2007
  01/12/2006 a 31/12/2006
  01/11/2006 a 30/11/2006
  01/10/2006 a 31/10/2006
  01/09/2006 a 30/09/2006
  01/08/2006 a 31/08/2006
  01/07/2006 a 31/07/2006
  01/06/2006 a 30/06/2006
  01/05/2006 a 31/05/2006
  01/04/2006 a 30/04/2006
  01/03/2006 a 31/03/2006
  01/02/2006 a 28/02/2006
  01/01/2006 a 31/01/2006
  01/12/2005 a 31/12/2005
  01/11/2005 a 30/11/2005
  01/10/2005 a 31/10/2005
  01/09/2005 a 30/09/2005
  01/08/2005 a 31/08/2005
  01/07/2005 a 31/07/2005
  01/06/2005 a 30/06/2005
  01/05/2005 a 31/05/2005
  01/04/2005 a 30/04/2005
  01/03/2005 a 31/03/2005
  01/02/2005 a 28/02/2005
  01/01/2005 a 31/01/2005
  01/12/2004 a 31/12/2004
  01/11/2004 a 30/11/2004
  01/10/2004 a 31/10/2004
  01/09/2004 a 30/09/2004
  01/08/2004 a 31/08/2004
  01/07/2004 a 31/07/2004


Outros sites
  picareta cultural
  cep 20.000
  lorena poema
  ana guadalupe
  americo borges
  diego grando
  mourinha
  antonio cicero
  teo petri
  vicente canato
  olímpio
  bagatela
  caró lago
  garganta da serpente
  ramon mello
  guada fanjul
  supercordas
  dimitri [br]
  fotolog macaco
  cronópios
  bruna beber
  tchello melo
  flávio de araújo
  marcelino freire
  marcelo montenegro
  telma scherer
  podcast caiowas
  flavio pucci
  dalton campos
  poesia - pinga
  mimmy
  leandro de paula
  chacal
  alice sant'anna
  val borges
  cabelo
  as escolhas afectivas
  nave vazia
  carulhina
  victoria visco
  lilian aquino
  rodolfo muanis
  vitor freire
  ismar tirelli neto
  angélica freitas
  lorena magalhães
  plástico bolha
  laise costa
  mariana botelho
  joana rizério
  poesia hoje
  felipe cataldo
  renata flávia
  rafael mantovani
  filipe couto
  foolana de tao
  câmara de ecos
  allan dias castro
  polaco
  bruno fritz
  gregorio duvivier
  ricardo silveira
  omar salomão
  leo gonçalves
  bruno brum
  ana guam
  joão freitas
  lucas viriato
  eduardo coelho
  ademir assunção
  geraldo carneiro
  blog plástico bolha
  carla mariel
  lu barboza
  c.
  roberto borati
  maria rezende
  joão paulo cuenca
  cecilia cavalieri
  antonio lacarne
  shala andirá
  mata piolho
  7 letras blog
  365 poemas a um real
  contato: caiocarmacho@gmail.com
Votação
  Dê uma nota para meu blog


Leia este blog no seu celular

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.