NOUTRATEZ


Quem sabe Deus

Quem sabe Deus
não encontrou
Quem sabe Deus não encontrou ainda
E na ausência
cabe ao pior
Falar Deus, isso ninguém duvida

Se dá rodado
Não me incomoda
E nessa roda
Roda teu juízo

Sou obrigado
a dar um dois
Tribuna mestra não prende por isso

Corre, corre na cidade
Ninguém sabe de onde é
O que é que há

São remotas conduções, mas há luz
São pequenas conversas,
resultados

Na muralha do tempo
Poetas conseguem viver

Temerá nascer, mas há um

Entre todos
viver meu caminho
Entre você, meu amor

Entre Deus que é só o universo
Entro dentro de mim, meu coração


Otto

Escrito por Caio Carmacho às 14h29
[   ] [ envie esta mensagem ]




viagem no mar -
cada vez mais profundo
o azul nos meus pulmões


hosaku shinohara

Escrito por Caio Carmacho às 18h36
[   ] [ envie esta mensagem ]




fome



marcelo sahea


Escrito por Caio Carmacho às 15h58
[   ] [ envie esta mensagem ]




mulata exportação

'mas que nega linda
e de olho verde ainda
olho de veneno e açúcar!
vem, nega, vem ser minha desculpa
vem que aqui dentro ainda te cabe
vem ser meu álibi, minha bela conduta
vem, nega exportação, vem meu pão de açúcar!
(monto casa procê mas ninguém pode saber, entendeu
meu dendê?)
minha tonteira minha história contundida
minha memória confundida, meu futebol, entendeu
meu gelol?
rebola bem meu bem-querer, sou seu improviso,
seu karaoquê;
vem, nega, sem eu ter que fazer nada. vem sem ter
que me mexer
em mim tu esqueces tarefas, favelas, senzalas,
nada mais vai doer.
sinto cheiro docê, meu maculelê, vem, nega, me ama,
me colore
vem ser meu folclore, vem ser minha tese sobre nego
malê.
vem, nega, vem me arrasar, depois te levo
pra gente sambar'.

imaginem: ouvi tudo isso sem calma e sem dor.
já preso esse ex-feitor, eu disse: "seu delegado..."
e o delegado piscou.
falei com o juiz, o juiz se insinuou e decretou
pequena pena
com cela especial por ser esse branco intelectual.

eu disse: "seu juiz, não adianta! opressão, barbaridade,
genocídio
nada disso se cura trepando com uma escura!"
ó minha máxima lei, deixai de asneira
não vai ser um branco mal resolvido
que vai libertar uma negra:
esse branco ardido está fadado
porque não é com lábia de pseudo-oprimido
que vai aliviar seu passado.
olha aqui, meu senhor:
eu me lembro da senzala
e tu te lembras da casa-grande
e vamos juntos escrever sinceramente outra história
digo, repito e não minto:
vamos passar essa verdade a limpo
porque não é dançando samba
que eu te redimo ou te acredito:
vê se te afasta, não invista, não insista!
meu nojo! meu engodo cultural!
minha lavagem de lata!

porque deixar de ser racista, meu amor,
não é comer uma mulata!


elisa lucinda

Escrito por Caio Carmacho às 14h30
[   ] [ envie esta mensagem ]




Do sumo ao sugo

Aquieto meu coração
Contando os dias que destacam
A camisa e a toalha
Do pano de chão

Depois eu me enxugo
Com os mesmos trajes
O tempo aguarda e age
Do sumo ao sugo

Distraio minha mente toda
Pesquisando músicas
Dissipando dúvidas
Para adquirir outras

E eu me indago
Por qualquer ultraje
Meu ou da paisagem
Para ficar mais magro


tchello melo

Escrito por Caio Carmacho às 17h33
[   ] [ envie esta mensagem ]




acreditar



Acreditar, eu não
Recomeçar, jamais
A vida foi em frente
E você simplesmente não viu que ficou pra trás

Não sei se você me enganou
Pois quando você tropeçou
Não viu o tempo que passou
Não viu que ele me carregava
E a saudade lhe entregava
O aval da imensa dor

E eu que agora moro nos braços da paz
Ignoro o passado
Que hoje você me traz
E eu que agora moro nos braços da paz
Ignoro o passado
Que hoje você me traz


dona ivone lara e delcio carvalho


Escrito por Caio Carmacho às 15h30
[   ] [ envie esta mensagem ]




precocinismo

aposentar por invalidez aos 30
era a apoteose da minha euforia

afinal todo mundo sabia
que apesar de escrever na penumbra
nunca vali porra nenhuma


caio carmacho

Escrito por Caio Carmacho às 16h27
[   ] [ envie esta mensagem ]




quase tudo


tudo que dá pra sentir
quase que dá pra pensar
tudo que dá pra pensar
quase que dá para ouvir
tudo que dá para ouvir
quase que dá para ver
tudo que dá para ver
quase que dá pra pegar
tudo que dá pra pegar
quase que dá para ter
tudo que dá para ter
quase que dá para dar

e quase tudo dá

e quase tudo dar


arnaldo antunes e péricles cavalcanti


Escrito por Caio Carmacho às 17h37
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  01/05/2017 a 31/05/2017
  01/09/2015 a 30/09/2015
  01/01/2015 a 31/01/2015
  01/11/2014 a 30/11/2014
  01/10/2014 a 31/10/2014
  01/05/2014 a 31/05/2014
  01/03/2014 a 31/03/2014
  01/02/2014 a 28/02/2014
  01/01/2014 a 31/01/2014
  01/12/2013 a 31/12/2013
  01/10/2013 a 31/10/2013
  01/06/2013 a 30/06/2013
  01/04/2013 a 30/04/2013
  01/03/2013 a 31/03/2013
  01/01/2013 a 31/01/2013
  01/12/2012 a 31/12/2012
  01/11/2012 a 30/11/2012
  01/10/2012 a 31/10/2012
  01/09/2012 a 30/09/2012
  01/08/2012 a 31/08/2012
  01/07/2012 a 31/07/2012
  01/06/2012 a 30/06/2012
  01/05/2012 a 31/05/2012
  01/04/2012 a 30/04/2012
  01/03/2012 a 31/03/2012
  01/02/2012 a 29/02/2012
  01/01/2012 a 31/01/2012
  01/12/2011 a 31/12/2011
  01/11/2011 a 30/11/2011
  01/10/2011 a 31/10/2011
  01/09/2011 a 30/09/2011
  01/08/2011 a 31/08/2011
  01/07/2011 a 31/07/2011
  01/05/2011 a 31/05/2011
  01/04/2011 a 30/04/2011
  01/03/2011 a 31/03/2011
  01/02/2011 a 28/02/2011
  01/01/2011 a 31/01/2011
  01/12/2010 a 31/12/2010
  01/11/2010 a 30/11/2010
  01/10/2010 a 31/10/2010
  01/09/2010 a 30/09/2010
  01/08/2010 a 31/08/2010
  01/07/2010 a 31/07/2010
  01/06/2010 a 30/06/2010
  01/05/2010 a 31/05/2010
  01/04/2010 a 30/04/2010
  01/03/2010 a 31/03/2010
  01/02/2010 a 28/02/2010
  01/01/2010 a 31/01/2010
  01/12/2009 a 31/12/2009
  01/11/2009 a 30/11/2009
  01/10/2009 a 31/10/2009
  01/09/2009 a 30/09/2009
  01/08/2009 a 31/08/2009
  01/07/2009 a 31/07/2009
  01/06/2009 a 30/06/2009
  01/05/2009 a 31/05/2009
  01/04/2009 a 30/04/2009
  01/03/2009 a 31/03/2009
  01/02/2009 a 28/02/2009
  01/01/2009 a 31/01/2009
  01/12/2008 a 31/12/2008
  01/11/2008 a 30/11/2008
  01/10/2008 a 31/10/2008
  01/09/2008 a 30/09/2008
  01/08/2008 a 31/08/2008
  01/07/2008 a 31/07/2008
  01/06/2008 a 30/06/2008
  01/05/2008 a 31/05/2008
  01/04/2008 a 30/04/2008
  01/03/2008 a 31/03/2008
  01/02/2008 a 29/02/2008
  01/12/2007 a 31/12/2007
  01/11/2007 a 30/11/2007
  01/10/2007 a 31/10/2007
  01/09/2007 a 30/09/2007
  01/08/2007 a 31/08/2007
  01/07/2007 a 31/07/2007
  01/06/2007 a 30/06/2007
  01/05/2007 a 31/05/2007
  01/04/2007 a 30/04/2007
  01/03/2007 a 31/03/2007
  01/02/2007 a 28/02/2007
  01/01/2007 a 31/01/2007
  01/12/2006 a 31/12/2006
  01/11/2006 a 30/11/2006
  01/10/2006 a 31/10/2006
  01/09/2006 a 30/09/2006
  01/08/2006 a 31/08/2006
  01/07/2006 a 31/07/2006
  01/06/2006 a 30/06/2006
  01/05/2006 a 31/05/2006
  01/04/2006 a 30/04/2006
  01/03/2006 a 31/03/2006
  01/02/2006 a 28/02/2006
  01/01/2006 a 31/01/2006
  01/12/2005 a 31/12/2005
  01/11/2005 a 30/11/2005
  01/10/2005 a 31/10/2005
  01/09/2005 a 30/09/2005
  01/08/2005 a 31/08/2005
  01/07/2005 a 31/07/2005
  01/06/2005 a 30/06/2005
  01/05/2005 a 31/05/2005
  01/04/2005 a 30/04/2005
  01/03/2005 a 31/03/2005
  01/02/2005 a 28/02/2005
  01/01/2005 a 31/01/2005
  01/12/2004 a 31/12/2004
  01/11/2004 a 30/11/2004
  01/10/2004 a 31/10/2004
  01/09/2004 a 30/09/2004
  01/08/2004 a 31/08/2004
  01/07/2004 a 31/07/2004


Outros sites
  picareta cultural
  cep 20.000
  lorena poema
  ana guadalupe
  americo borges
  diego grando
  mourinha
  antonio cicero
  teo petri
  vicente canato
  olímpio
  bagatela
  caró lago
  garganta da serpente
  ramon mello
  guada fanjul
  supercordas
  dimitri [br]
  fotolog macaco
  cronópios
  bruna beber
  tchello melo
  flávio de araújo
  marcelino freire
  marcelo montenegro
  telma scherer
  podcast caiowas
  flavio pucci
  dalton campos
  poesia - pinga
  mimmy
  leandro de paula
  chacal
  alice sant'anna
  val borges
  cabelo
  as escolhas afectivas
  nave vazia
  carulhina
  victoria visco
  lilian aquino
  rodolfo muanis
  vitor freire
  ismar tirelli neto
  angélica freitas
  lorena magalhães
  plástico bolha
  laise costa
  mariana botelho
  joana rizério
  poesia hoje
  felipe cataldo
  renata flávia
  rafael mantovani
  filipe couto
  foolana de tao
  câmara de ecos
  allan dias castro
  polaco
  bruno fritz
  gregorio duvivier
  ricardo silveira
  omar salomão
  leo gonçalves
  bruno brum
  ana guam
  joão freitas
  lucas viriato
  eduardo coelho
  ademir assunção
  geraldo carneiro
  blog plástico bolha
  carla mariel
  lu barboza
  c.
  roberto borati
  maria rezende
  joão paulo cuenca
  cecilia cavalieri
  antonio lacarne
  shala andirá
  mata piolho
  7 letras blog
  365 poemas a um real
  contato: caiocarmacho@gmail.com
Votação
  Dê uma nota para meu blog


Leia este blog no seu celular

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.